Ora, vejam só…

Nunca tinha lido ou ouvido história assim: um grupo de noruegueses quer comemorar o centenário da independência de seus vizinhos, os finlandeses, presenteando-os com uma montanha. Se alguém souber de alguma coisa que mesmo de longe seja parecida, me conte.

A história pode ser lida em inglês no jornal The Telegraph, da Inglaterra (http://bit.ly/1NAwVBw), ou em português, no portal Observador, de Lisboa (http://bit.ly/1Pd82Ap),

A ideia é do geofísico norueguês Bjørn Geirr Harsson. No início do último verão (junho, na Europa), ele escreveu ao ministro de Relações Exteriores de seu governo, propondo que a montanha Haltia, que delimita parte da fronteira entre os dois países, passe a pertencer inteiramente à Finlândia. Atualmente, apenas uma das encostas da Haltia é dos finlandeses.

Haltia - Marco de fronteira entre Finlândia e Noruega lçeg

Harsson ainda não recebeu resposta do ministro de Relações Exteriores, mas a iniciativa foi elogiada em manifestação não-oficial por Anne Cathrine Frøstrup, chefe da Norwegian Mapping Authority (= Agência de Cartografia): “É um belo presente a um país que carece de uma montanha alta, onde o ponto mais alto não é nem mesmo um pico”, ela disse à NRK, à rádio estatal da Noruega

Foi em 1972 que Harsson pensou no assunto pela primeira vez, quando voava ao longo da fronteira para estudar variações da gravidade. Só agora, porém, ao ouvir falar dos preparativos da Finlândia para comemorar o centenário de sua independência, é que decidiu concretizá-la.

Originalmente, a Finlândia era parte da Suécia, mas em 1809 foi anexada ao Império Russo como grão-ducado. A derrota tzarista na Primeira Guerra Mundial e a Revolução Bolchevista, em 1917, deram condições à Finlândia para proclamar a independência em 6 de dezembro daquele ano.

“Seria um presente do povo norueguês e tenho certeza que o povo finlandês ficaria agradecido”, Harsson disse ao jornal inglês The Telegraph. Acrescentou: “Não alteraria em nada o território da Noruega ou da Finlândia. Os noruegueses fariam história e se tornariam heróis não só na Finlândia, mas em todo o mundo.

De fato, o presente norueguês está correndo mundo e tem recebido muito apoio em página do Facebook, onde foi posto, segundo Harsson supõe, por um filho dele que vive nos Estados Unidos. Para que se torne realidade, basta um acordo entre os dois países. A fronteira norueguesa recuaria apenas 200 metros, envolvendo área menor do que o nosso Parque Farroupilha.

Parafraseando Neil Armstrong, o primeiro homem a pisar na Lua, apenas um pedacinho de terra – mas que grande fronteira se abriria para a amizade entre os povos.

P.S – Quem quiser acrescentar algo mais a esta história, clique em http://bit.ly/1oSJu3s. Vai ouvir o poema sinfônico Finlândia, de Sibelius e assistir, ao mesmo tempo, belo documentário sobre as paisagens, a flora e fauna do país.